sexta-feira, abril 21, 2006

A Gripe

Tem essa Gripe da moda, e há algumas coisas que eu quero dizer sobre ela. A primeira coisa que tem que ser posta é uma crítica, talvez aos médicos, talvez aos jornalistas (aqui um aparte, quem sou eu para querer fazer isso de criticar a imprensa, com a qualidade que ela merece; isso só o Alberto Dines e o pessoal do observatório da imprensa. A eles minhas sinceras reverências, eles que fazem talvez o único programa de televisão do mundo que em todas as suas edições tem qualidade e relevância / pra criticar os médicos tenho ainda menos gabarito, ainda assim...) ou talvez a ambos. Minha crítica inicial é aos apelidos que que têm dado a esta gripe da moda: 'Gripe Asiática', 'Gripe do Frango', 'Gripe Aviária', 'Sindrome Respiratória Aguda Grave', ou sua sigla em inglês 'SARS'. Todos estes apelidos têm tanta relevância quanto 'Gripe Hilda Furacão' ou 'Gripe Fidel Castro'. Explico: tais nomes, simplesmente não distinguem essa gripe de nenhuma outra, veja bem: O vírus que causa a gripe é o Influenza, vírus extremamente mutante, e de mutação muito rápida, que é originariamente e preferecialmente parasita de aves. (gripe aviária?). Por ser um vírus extremamente mutante nunca teremos imunização completa a ele pois nos imunizamos, ele muda, e ficamos de novo suscetíveis a gripe. Por ser tão mutante, existem diversas cepas do Influenza, e a cada nova cepa o vírus se espalha via de regra em proporções mundiais. Com sua quase infinita capacidade de se adaptar, as cepas do vírus se adaptam a parasitar homens e essas passam ser cepas de gripe humana, essa transição se dá quase sempre dos Galináceos para os humanos devido as intensas relações entre essas espécies com criações de galinhas e sua utilização em alimentação. (gripe do frango?). Devido a enorme concentração de seres humanos e galináceos na Ásia (principalmente ao sul) é nessa região que essa transição quase sempre ocorre. (Gripe Asiática?). Hoje a ciência sabe que que de tempos em tempos acontece uma mutação mais importante no vírus da gripe e essa modificação mais brusca "pega" nossos organismos desprevenidos, por isso a doença ocorre de uma forma mais grave, ou seja quando o organismo não está prevenido o Influenza pode até matar, é por isso que doentes de AIDS podem morrer de gripe. (Síndrome Respiratória Aguda Grave? ou SARS?).
Chamemo-la pois de Gripe Grave apenas.

Devo dizer também que fico realmente sensibilizado com todos os esforços de todos os povos do mundo para diminuir os efeitos que a inevitável pandemia trará. Só discordo do excesso de alarmismo alardeado a quatro cantos. A doença realmente vai se espalhar e pessoas vão morrer, é fato, mas não haverá recessão mundial, crise ou quebradeira, haverá setores da economia que comemorarão o surto, como a industria farmaceutica. O crescimennto populacional desenfreado em diversas partes do mundo será levemente dimunuído durante a época dos contágios, diminuirá também o desemprego, e a escasses de alguns recursos. Será ruim pra quem morrer, quem ficar talvez chore alguns mortos, mas não será nenhum fim do mundo. A vida vai continuar....

Agora realmente me deixa triste ver o nosso presidente (aquele mesmo da história 'Lulalá e os quarenta mensalões' que não tem nenhuma originalidade)* na TV dizendo que: "O Brasil está preparado pra Gripe Grave.", se ele tivesse dito: "A economia do Brasil não sofrerá maiores consequências" eu o aplaudiria veementemente, porque acredito nisso. Mas nenhum país está pronto para reduzir ao máximo os contágios e as mortes, e não é o país do SUS que estaria. Quando o ouvi dizendo aquilo, meu cérebro automaticamente traduziu: "Muita gente vai morrer aqui mas a República Federativa do Brasil não se preocupa com isso.", e isso dito pelo líder máximo do país. É triste.

E isso é tudo o que eu tinha a dizer sobre isso. Muito obrigado pela atenção. O endereço blogdoed@gmail.com é seu canal para falar desse ou de qualquer outro assunto que desejar aos nossos leitores.


ED


* "Lulalá e os Quarenta Mensalões" é paráfrase genial de Mendel, nosso co-editor que eu não resisti e usei na frente dele. Mas o fiz a devida reverência que se deve prestar aos mestres.


Um comentário:

Mendelson disse...

Meu caro Ed, vou lhe perdoar desta vez. Resta saber o que será do nosso vizinho Peru quando essa tal gripe chegar lá...